A viagem do Charlie

Bastante gente que acompanha o blog também me acompanha no Facebook, então a maioria sabe o porquê da minha ausência.

Lembra que eu comentei (aqui) que iria passar uns dias em Brno com o Lucas, depois iria voltar pro Brasil pra buscar o Charlie? Pois foi isso que eu estava fazendo… Voltei pra Campinas e vivi a semana mais corrida da minha vida, mas deu tudo certo, já estou em terras Tchecas novamente e agora a família está completa de novo! 🙂

O Charlie estava no Brasil em “quarentena” devido ao processo super burocrático pra trazê-lo pra União Européia (como eu contei aqui). Ele teve que ficar 90 dias sem sair do país, então no dia seguinte ao 90o, fui correndo fazer a última parte: corri atrás da veterinária dele pra ela fazer o atestado de saúde dele e com esse documento em mãos fui ao aeroporto de Viracopos, no Ministério da Agricultura, pra conseguir a emissão do CZI – Certificado Zoossanitário Internacional – que é o que permite a entrada dele por aqui.
Eu tinha horário marcado para as 14h. Cheguei em ponto. Fui atendida rapidamente, pediram pra eu preencher um formulário e aguardar. Aguardei, aguardei e aguardei. Uma meia hora depois, chegou o fiscal, examinou todos os documentos, e disse: “Não podia esperar mais um dia não?”. Inacreditável. Ele acha que 90 dias são 90 minutos? Ele tá pirado? Se diz no procedimento ’90 dias’ então são NOVENTA dias, não 91 ou 92 ou 90 e 10. Mas como eu estava na frente de um fiscal federal com poder de emitir ou não o documento (ou pelo menos me dar dor de cabeça), respirei fundo e disse: “Mas eu esperei. Hoje completa 91 dias. Contei no calendário umas cinquenta vezes pra ter certeza. he he he. ” (que ódio!).
Ele olhou tudo, viu que estava tudo em ordem, e pediu pra eu aguardar.
Esperei duas horas e quinze minutos. Numa sala sem sinal de celular. Tive que socializar, rs. Tinha um senhor também esperando o CZI dele, puxou assunto e ficamos conversando. Ele esteve na Itália recentemente e fez questão de me mostrar todas as fotos da viagem, me dizendo que vou amar a Europa e tal e tal e tal. Um fofinho.

Pois bem, duas horas e tantas depois, o doutor (médico veterinário), me chama pra eu conferir e assinar o documento. Assino aqui, assino ali, leio isso e aquilo e percebo que em lugar nenhum encontrava-se escrito o país em que o cachorro estava indo. Questionei. Ele disse que realmente havia um campo que deveria estar preenchido. Lá vai ele imprimir e carimbar tudo de novo. Mas é melhor assim, prefiro errar pelo excesso do que pela falta. Imagina se isso é questionado depois? Sinceramente, examinando o documento com mais calma, ele diz algo como ‘autorização para entrada de animais na União Européia’, então não importa muito o país exatamente. Mas na dúvida, achei melhor ele escrever, inclusive, o país onde eu entraria na UE (Alemanha) e meu destino final.

Certificadozinho chato de conseguir!

Certificadozinho chato de conseguir!

Documento em mãos, fechei as malas e no dia seguinte partimos para o aeroporto. Na manhã da viagem, dei comida e água pro Charlie, em casa, e passeei com ele pra ele cansar e fazer as necessidades logo antes da partida. No caminho fui dando mais água, e quando chegamos ao aeroporto, desci com ele e andei novamente pela grama pra ele fazer mais necessidades. Fiz o check-in direto no balcão da cia aérea (escolhi a Lufthansa pela reputação impecável com transporte de animais, e ouvi dizer que a KLM é muito boa também). Eles não conferem nenhum documento do animal, o que eu achei estranho (já pensou se alguém acha que está tudo OK mas esqueceu de algo, imagina o transtorno ao descobrir isso só ao chegar na Europa. Mas também, por outro lado, cada um saiba da responsabilidade de uma exportação dessas). Nem pesaram a casinha/gaiola, só me pediram peso estimado. Preenchi um formulário que vai colado na casinha, paguei a taxa em um outro balcão (ninguém nunca pediu pra ver o recibo desse pagamento), deu 600 e poucos reais – muito barato! – e despachei ele num lugar de malas que são acima do tamanho normal. E lá se foi o Charlinho… Dá um aperto no coração! Saber que ele ficaria sozinho e estranhando tudo por horas e horas…

Tadico!! :-(

Tadico!! 😦

"papai to chegandooo"

“papai to chegandooo”

Assim que entrei no avião e me sentei, perguntei para a aeromoça se ela poderia confirmar se o meu cachorro estava à bordo. Ela confirmou e só então fiquei menos tensa. A cada turbulência, por menor que fosse, eu só pensava nele, e mentalizava um “calma neném…”. Quem sabe ele ‘ouviria’ isso? Dizem que os animais têm uma percepção especial das coisas, e eu acredito nisso…

Doze horas depois, eu estava chegado em Munich, onde fiz uma conexão (ou escala?) de 2 horas. Era um aviãozinho pequeno, então pegamos um ônibus no portão que nos levou até ele, e no caminho, ao contornar o avião, eu acho que vi um funcionário da Lufthansa falando/fazendo algo com o Charlie. Vi um funcionário agaixado no compartimento de bagagem, meio que falando com uma caixa enorme. Acho que era o Charlie, não sei. Assim que entrei, também já pedi pra confirmarem se ele estava dentro. Confirmaram, e eu capotei – dormi profundamente o vôo inteiro de 40 minutos até Praga, acordei com o baque do avião no chão. CHEGAMOS!

Fui correndo pegar a minha mala, e depois fui mais correndo ainda no lugar de malas maiores, buscar o Charlie. Logo no corredor já vi um carrinho de malas com a caixa dele. Cheguei, já falei com ele através dos buracos, e comecei a tirar documentos da mochila. Foi quando percebi que estavam me olhando com uma cara estranha. Perguntei, então, se precisavam de algo de mim, mas disseram que não. Então peguei o Charlie e me mandei. Nesse momento achei estranho não pedirem nem meu comprovante de bagagem…

Fui então em direção à saída, pelo portão da Alfândega de quem tem coisas à declarar. Foi aí que me pediram o documento, passaporte e cartão de embarque. Entraram pra salinha e voltaram com o leitor do chip. Pediram pra eu fazer a leitura… Foi rápido, em uns 3 segundos já reconheceu o chip, conferiram com o documento, e, já que eu estava ali, aproveitaram e pediram pra passar minhas malas pelo raio-x. Eu louca pra sair de lá com o Charlie logo e os caras embaçando.

Mas enfim saí, o Lucas já estava me esperando e me ajudou com o Charlie que já estava no chão pela guia (na hora de abrir a casinha pra ler o chip, ele pulou pra fora!).

O Lucas contratou um motorista com um carro grande, tipo Caravan, pra levar a gente até Brno. A viagem de trem seria longa e mais cansativa pro Charlie, e de ônibus não teria como, então essa foi a melhor opção pra gente. Fizemos uma boa viagem de carro, eu dormi a maior parte, e o Charlie também tirou um cochilo, e finalmente depois de 24 horas viajando, chegamos ao nosso novo lar!

À noite, saímos pra jantar, e depois aproveitamos bastante a companhia uns dos outros!

IMG_20140924_200503

Ta friozinho!!! 

Charlie está adorando, já passeou na rua várias vezes, já pegou o tapete de entrada e um par de meias, ou seja, já está 100% recuperado da viagem! Logo logo começo o álbum de fotos dele pela cidade 🙂

Anúncios

Ah, as Coroas Tchecas!

Não, não me refiro à senhoras de idades nascidas aqui.
Tô falando de dinheiro, bufunfa, cascalho. Hoje tivemos a prova de que o dinheiro por aqui vai render bem.

Vamos começar com uma enquete: Quanto vocês acham que eu gastei na compra dos ítens dessa foto???? Façam suas apostas, responderei no próximo post. Note que no meio dos ítens tem: 1 jogo de 3 panelas, 4 toalhas (2 grandes, 2 de rosto), 2 travesseiros, 1 aparelho de jantar 12 peças, 1 jogo de seis copos, 1 jogo de potinhos de banheiro (de colocar escova de dentes e tal), e coisas miúdas de cozinha, como abridores de lata, rodo de pia, potinhos de condimentos, vaso com planta, bowls (2 de vidro, 1 de inox) e até pantufas, entre outras coisas…

Quantas Dilmas vocês acham que gastamos aqui?

Quantas Dilmas vocês acham que gastamos aqui?

image (3)

As Coroas Tchecas são a moeda corrente daqui. Uma Coroa equivale à mais ou menos 10 centavos de Real. É uma conta de mais ou menos 10 vezes mais. Então você pode sair pra jantar e gastar 800 coroas, ou pagar 20 coroas em uma passagem de ônibus.

Até agora as coisas que nós compramos foram mais baratas que no Brasil (mas já me falaram que tem coisas mais caras, por exemplo, o litro da gasolina e carnes em geral).

A experiência mais barata que tive até hoje foi: duas garrafas d’água dessas de 500ml + duas mini baguetes de queijo por 20 coroas. Isso mesmo, 2 reais. Nem UMA garrafa d’água no Brasil custa isso. Foi a água mais barata que já paguei na vida.

Yes!

Yes!

Outro exemplo, desodorante Rexona, que no Brasil custa entre 10 e 13 reais, aqui custou 44 coroas (aproximadamente 4 reais). O spray para os pés que o Lucas usa bastante, no Brasil pagávamos 15 reais, aqui achamos por 50 coroas. Enfim, no geral as coisas são bem mais baratas que no Brasil (o que, convenhamos, não é muito difícil de acontecer).

E aí hoje fomos comprar algumas coisas pra casa. O apartamento veio mobiliado, então não faltava muito. Mas aproveitamos a carona do irmão da Silvie (de quem eu falei aqui) que nos levou até a Ikea e compramos algumas coisas.

Pra quem não conhece, a IKEA é uma rede sueca de lojas de móveis e utensílios domésticos. É bem conhecida mundialmente pelos seus produtos baratos e de design bonitinho. É tipo a Etna, mas de pobre. Heheheh. A Etna vende absolutamente as mesmas coisas que a Ikea, é o mesmo estilo de loja (daqueles que você entra e vai passando pelos departamentos seguindo setinhas no chão), só que a Ikea tem os preços muito melhores. Tem Ikea no Canadá, mas eu só tinha ido pra olhar, bem rápido. Hoje passamos a tarde inteira lá – tem restaurante dentro da loja, pra você fazer uma pausa nas compras tranquilamente – e a compra rendeu muito bem, como vocês viram na foto anterior e podem ver nessas fotos também:

Cabides: 4 unidades por 9 coroas (90 centavos).

Cabides: 4 unidades por 9 coroas (90 centavos).

Lâmpada de chão: 299 coroas (29 reais)

Lâmpada de chão: 299 coroas (29 reais)

Lustres legais: 69 reais

Lustres legais: 69 reais

Lustre lindão. Uma amiga chegou a fazer esse lustre, artesanalmente mesmo, porque no Brasil custava mais de 200 reais.

Lustre lindão. Uma amiga chegou a fazer esse lustre, artesanalmente mesmo, porque no Brasil custava mais de 200 reais.

Olha o preço dele! 60 reais

Olha o preço dele! 60 reais

Aqui os cobertores são diferentes. Primeiro que, numa cama de casal, cada um tem o seu (finalmente alguém que me entende!). Segundo, você compra um tipo de manta (não muito grossa), e compra uma capa pra essa manta e isso é seu cobertor.

Aqui os cobertores são diferentes. Primeiro que, numa cama de casal, cada um tem o seu (finalmente alguém que me entende!). Segundo, você compra um tipo de manta (não muito grossa), e compra uma capa pra essa manta e isso é seu cobertor.

É uma idéia genial, porque você não precisa ficar lavando o edredon inteiro, somente a capa dele. E você pode ter várias capas e mudar de acordo com seu humor (!). E quando precisar lavar o edredon, ele é apenas uma manta leve, e não vai pesar 307 kilos na sua máquina. Show!

É uma idéia genial, porque você não precisa ficar lavando o edredon inteiro, somente a capa dele. E você pode ter várias capas e mudar de acordo com seu humor (!). E quando precisar lavar o edredon, ele é apenas uma manta leve, e não vai pesar 307 kilos na sua máquina. Show!

Passamos um certo tempo nesse departamento. Lucas até dormiu, e com outra ainda por cima! kkkk

Passamos um certo tempo nesse departamento. Lucas até dormiu, e com outra ainda por cima! kkkk

Mas o mais legal foi conhecer os pais e o irmão da Silvie. São muito especiais, nos receberam muito bem e nos ajudaram bastante hoje. Só o irmão dela fala Inglês, mas ele não estava muito preocupado em traduzir os pais, então tivemos que nos virar com gestos, desenhos, e com o Francês basicão que tirei do fundo do baú pra tentar falar com a mãe dela que também só arranha a língua. E mesmo assim conseguimos nos comunicar super bem. Foi engraçado mas foi super legal!

Fomos recebidos com flores (em um número ímpar, que é para ocasiões felizes – número par é para funerais!), e vinho. E na Ikea ela comprou essa pelúcia de bola 8, que é o número do nosso prédio aqui! Morri, de tanta fofura!

image (1)

E à noite, mesmo cansados, fomos encontrar um grupo de Brasileiros que conhecemos essa semana, um grupo pequeno mas muito legal!

Foi um sábado legal e se não estiver chovendo, o domingo vai ser também! Até o próximo post…

Chegamos! :-)

CHEGAMOS!

Já faz um tempo que não escrevo mas volto com boas novas: já estamos em solo Tcheco e a cidade de Brno está se mostrando simplesmente sensacional.  Foi tudo muito rápido entre sair o visto, fazer as malas e viajar. Pra ser bem precisa, isso tudo aconteceu em 3 dias.

Contarei: saímos de São Paulo no domingo, fomos até Nova Iorque (fizemos dois vôos porque estávamos em passagens de ‘stand by’ cedidas por uma amiga), e depois seguimos de lá até Praga. Em Nova Iorque passamos o dia, mas não fomos conhecer Manhattan nem nada disso, porque apesar de termos voado em classe executiva (oh yes!), estávamos cansados e tínhamos outro vôo (em econômica) pela frente, então preferimos nos resguardar. Pegamos um quarto de hotel de aeroporto, dormimos o dia inteiro e ao fim da tarde estávamos revigorados pra seguir viagem.

Eu esbanjando na Executiva

Eu esbanjando na Executiva

Brincando de "O Iluminado" no hotel em NY

Brincando de “O Iluminado” no hotel em NY

No hotel em NY indo de volta pro aeroporto...

No hotel em NY indo de volta pro aeroporto…

Sobrevoando a República Tcheca

Sobrevoando a República Tcheca

Depois de 2 dias, finalmente!!!

Depois de 2 dias, finalmente!!!

Chegando em Praga, compramos passagens de ônibus pela Student Agency. Pagamos 500ck mais ou menos (cerca de 50 reais) e a viagem durou cerca de 4 horas (com uma parada de meia hora numa parada para troca de ônibus). Essa foi a parte mais cansativa da viagem. Os ônibus da Student Agency são relativamente confortáveis se você é magrelo (a) e baixinho (a). Qualquer pessoa fora desse padrão já sofre um pouco. Mas o preço é bom e o serviço é excelente. Tem ar-condicionado, TVs individuais, servem bebidas quentes durante a viagem (cafés, chás) e não cobraram nada pelas nossas 4 malas de 32kg cada + malas de mão! Excelente negócio!

Chegamos!!

Chegamos!!

Lucas SUPER animado antes de pegar o ônibus para Brno

Lucas SUPER animado antes de pegar o ônibus para Brno

Muita mala? Onde? Quando?

Muita mala? Onde? Quando?

Cansados mas felizes da vida

Cansados mas felizes da vida

Um pouquinho de Praga

Um pouquinho de Praga

Ônibus meio apertado, mas até bebi café com leite e assisti Friends!

Ônibus meio apertado, mas até bebi café com leite e assisti Friends!

Brno!!!

Brno!!!

Feira livre

Feira livre

Centro de Brno

Centro de Brno

IMG_20140910_135656

Nós e o colega Pinto, que dizem ser um relógio (!?).

Nós e o colega Pinto, que dizem ser um relógio (!?).

Chegamos na estação central de Brno, pegamos um táxi e fomos direto pro apartamento, onde a corretora estava nos esperando pra assinar o contrato e entregar as chaves. Devo ressaltar aqui que tivemos que chamar um táxi especial (com a ajuda do nosso amigo Luciano, que fala Tcheco fluente – mais sobre a língua nos posts futuros), por conta das malas enormes e pesadas. Enviaram uma van para 7 pessoas e já esperávamos um preço mais caro do que o normal, porém fomos surpreendidos com uma tarifa de 130ck (13 reais, mais ou menos), sem cobrar nadinha a mais por nada. O trecho era curto, uns 4km, mas mesmo assim achei o preço muito bom! Recomendo sempre o CityTaxi para andar pela cidade!

Nosso apartamento é super legal! Foi alugado pela internet através do Home4Living. Quando estávamos procurando apartamento, vimos em várias imobiliárias, mas acabamos fechando com essa – vou escrever mais sobre moradia depois. Estamos muito contentes!

Por enquanto só andamos à pé então deu pra conhecer o nosso bairro e também o centro, que é bem perto (10 minutos de caminhada). Hoje só choveu choveu e choveu, então pegamos ônibus e bondes pela primeira vez. São excelentes, idênticos ao de Toronto (deve ser o mesmo fabricante) e funciona muito bem: pontuais e com um sistema que cobre a cidade inteira, além de serem novinhos e bem cuidados.

Chuva, chuva e mais chuva

Chuva, chuva e mais chuva

Igreja Vermelha à noite, na chuva.

Igreja Vermelha à noite, na chuva.

Enfim, em casa! Nossa nova casa!

Nos próximos dias vou postando mais e com mais detalhes!