Fazendo Compras

Eu me lembro a época em que gastar R$300 numa compra do mês lá em casa era uma extravagância. Isso deve ter sido lá pelos idos de mil novecentos e noventa e tantos. Meus pais compravam aquele monte de coisas de uma vez, acredito que foi o costume das famílias Brasileiras por muito tempo.

Eu nunca gostei muito de ir ao supermercado. Achava muito demorado e cansativo. Eu não era do tipo de criança que ficava pedindo tudo o que via. Não podíamos esbanjar, então era totalmente fora de cogitação ficar pedindo coisas supérfluas pros meus pais. Então eu gostava mesmo era de ficar em casa, e quando eles chegavam, depois da parte chata de ir buscar as trocentas sacolas no carro e subir escadas até em casa, era aquela festa de ver o que eles tinham comprado. E mais festa ainda quando víamos (meu irmão e eu) que tinha sorvete, salgadinho, aquelas porcarias que criança adora.

Até hoje não gosto muito de ir ao supermercado fazer compras. Sete anos casada e nunca me apeguei à nenhuma marca ou à nenhum lugar em particular. Compro o que eu tenho vontade de comer em determinado dia, e sou super influenciada por promoções.

Quando chegamos aqui em Brno, o primeiro lugar que fomos foi o mercado. É legal fazer compras em lugares novos, ver produtos diferentes, ver marcas conhecidas. Mas rapidinho eu voltei a achar tudo uma grande chateação, porque em um lugar novo você quer conhecer, explorar, ver as opções. Ver onde é mais barato, mais perto.

Bem, aqui em Brno a gente faz uma compra principal por mês, que é quando compramos produtos de higiene pessoal, limpeza, e mais algumas coisas. E, semanalmente, vamos comprando comidas frescas como carnes e legumes, conforme vai batendo a vontade e a disposição de cozinhar. Como eu disse antes, não tenho um lugar fixo pra comprar. Entro no que eu vejo primeiro. Entro no que está mais perto quando eu lembro que preciso comprar alguma coisa.

Aqui os principais supermercados de Brno:
– Albert – http://www.albert.cz/

– Billa – https://www.billa.cz/

– Kaufland – https://www.kaufland.cz/

– Globus – https://www.globus.cz/

– Tesco – http://www.itesco.cz/cs/

Vou no Albert para coisas do dia-a-dia. Estou sempre passando em frente dele, por isso. Não é meu favorito, acho meio feio e bagunçado. Os preços são bons e tem bastante promoção.

O Billa eu fui uma vez só. Achei mais caro que o Albert.

O Kaufland nunca fui, mas ouço falar que legumes, frutas e verduras são bem frescas e bem selecionadas.

Globus: longe demais do resto do mundo, mas os preços valem a pena a viagem. Duas coisas, principalmente, compensam muito: carnes e manteiga President. Fica a dica.

O Tesco é meu favorito! É grande, então tem uma boa variedade de tudo. Os preços são bons e tem bastante variedade. Mas o melhor de tudo: eles vendem online. Esse foi o segundo mês que compramos pelo site e a experiência é sensacional: o site tem a versão em Inglês. Calmamente você seleciona seus produtos e quantidade. Legumes, verduras e frutas você pode comprar por peso ou por quantidade (o que é ótimo, porque até hoje não tenho ideia de quantas batatas vêm em um kilo. Prefiro comprar 10 batatas e pronto). Eu não assisto TV, mas falam que tem uma propaganda do Tesco em que eles falam que os produtos frescos são escolhidos com muito cuidado e que os melhores vão para as entregas das compras online. E, realmente, posso afirmar: cenouras, batatas, frutas: parece que foram escolhidos pela minha avó!

Em cada categoria de produtos, tem o filtro para “promoções”, minha parte preferida.

Na hora de fazer o check-out online, você pode selecionar se quer pagar pelo site ou na entrega (somente com cartão), e escolhe o melhor dia e horário pra receber suas compras. As taxas de entrega variam dependendo do dia da semana e do horário, mas é uma média de 70CZK.

No dia da entrega, o pessoal leva as compras até sua porta. Tudo está em sacolinhas plásticas (YEY!) e eles esperam você descarregar as caixas tranquilamente. Eles te avisam se houve alguma substituição, que você pode aceitar, ou não. Aconteceu comigo de eu comprar papel higiênico tipo X mas no dia da minha entrega só tinha do tipo Y, da mesma marca.

140015

A-Tesco-home-delivery-van-008

Na primeira vez que comprei pelo iTesco, paguei online. Na segunda, passei o cartão na hora da entrega. Tudo tranquilamente, sem problema algum.

E, claro, dei uma gorgeta pro rapaz que subiu até minha porta. Vale MUITO a pena. Como não temos carro, quando íamos até o Tesco pessoalmente, voltávamos pra casa de táxi por causa das sacolas, e a corrida custava cerca de 140CZK. Agora, mesmo com a gorgeta, gasto menos dinheiro e não preciso ficar andando pra lá e pra cá e perder tempo em filas. Palmas para o Tesco.

Existe uma feira que acontece no centro da cidade, todos os dias. Eu fui uma vez, logo que cheguei aqui, pra conhecer. Não voltei mais por pura preguiça, mas pretendo. Produtos frescos de produtores locais a preços excelentes. Fora que é uma super chance de treinar Tcheco, e se envolver com a cultura e hábitos locais. Fica na Morávske Namestí.

Muita gente que mora fora do Brasil sente muita falta dos produtos que estamos acostumados a comprar lá. Reproduzir comidas comuns Brasileiras fica bem difícil estando fora. Como eu sou uma pessoa que gosta de quase qualquer comida, sofro menos. São pouquíssimas as coisas que não gosto de comer e me adapto muito fácil a novos ambientes. É claro que eu sinto falta de várias coisas, mas não morro por isso. Aqui tem leite condensado (não o Moça, mas tem, e é ótimo!) e creme de leite. Tem feijão: carioca, preto, vermelho, branco. Tem arroz. Tem carnes (até picanha, mas é caro!).

Das coisas que eu comprava sempre no Brasil, não senti falta de nada até agora. Senti falta de coisas que nem no Brasil eu comprava, só porque aqui é impossível de achar: carne seca, pão de cachorro-quente, massa pronta de pão de queijo. Mas sempre tem alguém vindo pra esses lados pra trazer pra mim 🙂

Comida é meu assunto preferido, então, como sempre, me escrevam se tiverem alguma dúvida. E pra quem já está aqui, deixo uma pergunta: Qual comida Brasileira você mais sente falta de ter no dia-a-dia?

Um abraço, e até a próxima!

Anúncios

Seguro, Sistema e Problemas de Saúde

Dizem que o ser humano começa a sentir os problemas da velhice a partir dos 27 anos. Poucos meses antes de completar meus 28, durante o inverno passado, pude atestar a esse fato. Todos os dias com temperaturas muito baixas, por volta de -10 graus, meu joelho doía. Doía muito. Subir e descer escadas virou um problema. Correr (pra pegar o ônibus, por exemplo), ficou impossível. Até que chegou o dia, em Dezembro, que eu não conseguia apoiar meu corpo (que está meio pesadinho, rs) nele. Foi quando precisei ir ao hospital daqui pela primeira vez. E foi quando eu parei pra ler a apólice do meu seguro. Bem, vou explicar melhor.

Aqui, esse lance de seguro saúde funciona da seguinte forma: Se você está na Europa à turismo, precisa ter um seguro de emergência. Alguns cartões de crédito oferecem esse seguro, se você comprou sua passagem com ele. Ele é realmente só para emergências. Se você vai praticar esportes de inverno, é preciso comprar um seguro que cubra esse tipo de atividade, pois é de alto risco. Mas vale a pena, porque as chances de você quebrar a perna esquiando não são baixas.

Se você está na Europa com visto de residência temporária de longo prazo (residência por mais de 180 dias), o seguro só de emergência não serve. Você precisa comprar um seguro que eles chamam aqui de “compreensivo”, que se assemelha ao seguro que os residentes permanentes e cidadãos têm = o público .

Existe aqui também um sistema privado, com médicos particulares, mas esses médicos não tem contratos estáveis com as empresas de seguro, então eles acabam tratando só quem tem muita grana.

No meu caso,  tenho acesso ao sistema público completo porque sou residente de longo prazo, e sou funcionária de empresa registrada na República Tcheca. Qualquer pessoa nessas condições recebe o cartão verdinho da VZP (Všeobecná zdravotní pojišťovna / General Health Insurance Company).

Observação importante: Se você é empregado de qualquer empresa aqui, você tem direito a esse seguro, mas sua família não. Você pode ter 5 filhos, 2 cachorros e uma esposa grávida. Se só você for trabalhar aqui, só você terá o seguro. Para todos os outros membros da sua família você tem que comprar os planos particulares.

Cartão do

Cartão do “SUS” Tcheco

Pois bem, voltando ao infortunado dia em Dezembro, comecei a ler minha apólice. Na época, eu não estava trabalhando, e meu seguro não era o compreensivo porque eu não sabia dessa diferenciação (em Janeiro tive que renovar e dessa vez comprei o certo).

Na apólice, a definição de emergência era qualquer evento isolado que acontecesse depois da aquisição do seguro. Falava mais um monte de coisas que não lembro. Mas, para me certificar, liguei na central de atendimento (também pra saber qual o hospital mais perto que aceitava o tal seguro). Tive que ouvir do atendente que esse seguro era somente para casos de vida ou morte! Questionei e o confrontei com o que estava escrito na apólice, e ele não soube me dizer mais nada além do nome e endereço do Hospital. Imagine, que absurdo: você quebra a perna numa queda na rua, e se não estiver em risco de morte, não poderá ser atendido? O rapaz não sabia de nada.

Um colega – Brasileiro também – que tem carro se ofereceu a me levar ao hospital, pra eu não ter que andar muito, e meia hora depois estávamos todos no Buhonice, hospital da universidade. As enfermeiras é que fazem o atendimento inicial, e não recepcionistas, como no Brasil (não sei se foi por causa do horário, era por volta das 19h). Todas falavam Inglês. Me perguntou o motivo da visita e imediatamente me encaminhou para fazer Raio-X (que eu sabia que não ia mostrar nada, pois não havia acontecido nenhum trauma). Mais uma meia hora e eu estava passando com o Ortopedista – que também falava inglês – que não constatou nada no exame, mas como eu disse que doía muito, me deu uma injeção milagrosa e pediu que eu aguardasse o outro médico especialista, que estava em cirurgia mas que iria me atender imediatamente depois. Optei por ir embora, já que a dor estava passando, e fiquei de voltar no dia seguinte para passar em consulta com o tal especialista. Não precisei pagar absolutamente nada.

No dia seguinte não retornei pois não doía mais, e prometi pra mim mesma que ia marcar uma consulta numa clínica assim que o seguro novo começasse a valer. Milagrosamente, não sei se porque não fez mais tanto frio, ou se eu não saí de casa nos dias congelantes, não doeu mais. Então, é claro, não fui a médico nenhum. Como boa Brasileira, vou deixar pra quando começar a doer de novo, no fim deste ano, hehe.

Um outro causo: o Lucas precisou fazer um pequeno procedimento numa unha encravada. Ele foi num Clínico Geral que o encaminhou pra um outro médico e no dia seguinte fez o procedimento. Dez dias depois retornou para retirada dos pontos e pronto. Simples assim.

Nesse último caso, ele usou a Medicover, que é um benefício que a IBM oferece, e que agora eu tenho também!
A Medicover é uma empresa Sueca de serviços médicos. Eles estão presentes em vários países da Europa, e aqui na República Tcheca têm vários médicos credenciados, além de duas clínicas super bem equipadas (uma em Praga e outra aqui).

A vantagem de ter esse plano extra é ter alguns serviços diferenciados, por exemplo: garantia de consulta agendada para no máximo 7 dias, atendimento por telefone para dúvidas sobre saúde, vacinação anual contra gripe, fisioterapia e reabilitação etc, além de poder usar a Medicover em qualquer país que ela esteja presente.

Cartão do plano privado que temos pela empresa.

Cartão do plano privado que temos pela empresa.

Cada pessoa tem um Clínico Geral, que é o “médico de família”, mas não é preciso de referência deste pra poder passar com algum especialista. É só marcar diretamente com quem você quer passar.

O sistema de saúde aqui é muito bom. É mais barato (pro contribuinte) do que outros países da União Europeia, e é tão bom quanto.

Se você quiser saber o preço dos seguros, veja diretamente no site das operadoras. Eu tive dessas duas empresas: PVZP e Slavia. O PVZP é uma variante do VZP (que é o público). É o mais comum e o mais aceito no país todo. O Slavia é bem aceito também, e mais barato:  https://www.pvzp.cz/en/ e w.slavia-pojistovna.cz/en/

Se você vem à turismo, tem muito mais opções: todos os bancos comercializam esse tipo de seguro, além das operadoras Porto Seguro, Allianz etc. Um mês de viagem vai custar mais ou menos R$300 (sem os esportes de inverno).

Qualquer outra dúvida, é só deixar um comentário!

Até a próxima!