Apps básicos e essenciais (e um site)

Bom dia pessoal,

Vou parecer muito velha falando isso, mas, considerando que eu vi a internet nascer e o telefone celular aparecer (grande, pequeno, grande), posso dizer com certa propriedade que ter um smartphone com conexão 4G 24 horas por dia é sensacional e, no meu caso, essencial pra minha sobrevivência nesse planeta. Sou dessas viciadinhas em celular. Não largo o meu pra nada. É a primeira e última coisa que eu vejo todos os dias. Eu desço com o celular pra buscar a pizza na porta do prédio. Sou dessas. Me julguem.

Quando eu ganhar na loteria, vou investir parte do meu dinheiro em desenvolvedores de aplicativos pra facilitar a nossa vida cada vez mais. Espero poder viver na época em que faremos tudo pelo celular, independentemente, sem barreira de idiomas ou localização física. Ah, tecnologia, como eu te amo.

É com isso em mente que apresento à vocês alguns aplicativos bastante úteis pra sua nova vida aqui em Brno. Mesmo que você esteja só de passagem, vale a pena baixá-los temporariamente. Eles são nove, e um site.

1. MHDapp (IOS) / MHDroid (Android)  

mhdapp

O mais útil de todos, na minha humilde opinião, é o aplicativo do DPMB, que é a empresa de transportes da cidade. Nesse aplicativo você consegue ver qual a rota de ponto A a B, tempo de viagem e preço.

Acima,  à esquerda: a busca da estação perto da minha casa para a estação da IBM.
À direita, o resultado: Intervalos, qual tram preciso pegar, distância, tempo, preço, e horário de chegada. Tem tudo.

Você precisa saber de qual estação você vai partir e qual a estação de destino. Pra saber isso, você pode olhar no Google Maps ou consultar a placa que fica em cada estação, ela tem o nome no topo. O aplicativo te mostra qual ônibus ou tram tomar, mas o sentido você precisa saber ou consultar na mesma placa que acabei de falar. Falei com detalhes disso aqui nesse post.

Esse aplicativo é perfeito pra você saber que horas exatamente o tram vai passar pra você se programar com exatidão a hora que pretende chegar a algum lugar. Especialmente em dias frios, quando não é muito legal ficar à toa esperando.

     2. PUBTRAN (só para Android)

pubtran

O Pubtran é bem parecido com o MHD, mas como ele usa informações do Google, tem alguns extras muito bons.

Além de você conseguir ver a rota, o tempo e tudo mais,  você vê também todas as estações daquela linha e qual o sentido você está indo:


Dá também pra ver, no mapa, todos os trans e ônibus que estão circulando naquele momento:

 

     3. SMS Jízdenky

sms
Esse é para compra de bilhetes de transporte por SMS. Você precisa ter habilitado o pacote de SMS’s especiais com a sua operadora pra isso funcionar.
Você seleciona qual o bilhete precisa, o SMS é enviado e volta com seu bilhete. Se o fiscal pedir, é só mostrar a ele a tela do seu celular.

dpmb1

   4. eKonto

ekonto

Se você abriu sua conta no Reifeissen Bank como eu indiquei aqui, você já vai sair do banco com o aplicativo instalado e funcionando. Esse app ganhou prêmios e mais prêmios de melhor app de banco do país, e é realmente sensacional. Ele é infinitamente melhor do que o site do internet banking. Nele, você faz de tudo: transferências, pagamentos, consultas na sua conta e em cartões de crédito etc. Dá pra você criar templates de recipientes pra facilitar a vida e não precisar ficar repetindo a mesma informação sempre. É assim que pagamos nosso aluguel, por exemplo, todos os meses. A transferência entre contas do RB cai na mesma hora. Palmas.

  5. City Taxi Brno

city taxi
Esse é um dos meus queridinhos e faz parte da categoria “apps e sites que me possibilitam solicitar o que eu quero sem qualquer contato humano, principalmente se o contato precisar ser em Tcheco”.

Você se cadastra (ou não, é opcional) e solicita táxis dessa companhia: ele já pega sua atual localização (se você deixar), aí você coloca o endereço de destino, ele calcula a corrida (!), você faz alguma solicitação especial (como pagamento em cartão, ou cadeirinha de criança, ou um carro grande), e voilà, ele te envia um SMS confirmando o pedido e a previsão de chegada do carro (com detalhes como a cor, modelo e placa). E o mais legal: você pode acompanhar pelo mapa do aplicativo onde está o carro que você solicitou até o momento que ele chega até você. E tudo em Inglês.


Não é um Uber, que ainda não chegou à Brno (só tem na capitarrr), mas é bem bom. Carros bacanas e limpos, com Wi-Fi, pagamento com cartão em todos (se não me engano), e motoristas menos carrancudos que o normal. Alguns motoristas até falam Inglês! Olha só que beleza. De nada.

   6. My Vodafone

vodafone
Se você vem pra trabalhar na IBM, vale a pena ter um número da Vodafone, porque depois que você completar seus três meses de experiência, pode usufruir de um convênio bacana que a IBM tem com eles. Então o app da Vodafone entrou pra minha lista, pois nele você consegue ver seu plano, alterar coisas nele, consultar e analisar seu consumo de dados etc.

  7. Jízdenky (Student Agency) / Tickets

student agency
A Student Agency é uma agência de viagens Tcheca muito grande e famosa. Seus ônibus amarelos circulam pelo país todo e também por vários países da Europa. Apesar do nome, é uma agência que é para todos. Acredito que o nome seja porque os preços são para estudantes, porque são realmente muito bons. Pra quem chega dos aeroportos de Praga ou Viena, o melhor jeito pra vir até Brno é de ônibus deles porque saem diretamente dos aeroportos, sem você precisar se locomover até o centro das cidades pra pegar trem.


Os ônibus são confortáveis, têm TVzinha individual nos assentos com filmes e séries, Wi-Fi dentro da República Tcheca, e serviço de bordo com cafés e outras bebidas. Pra quem está chegando de mudança com muitas malas grandes, eles cobram uma pequena taxa de 10 coroas por mala (R$1,60). O preço de um trecho Praga (Aeroporto) – Brno, por exemplo, pode sair por 165 coroas se você for cadastrado no site deles, ou um pouco a mais se você não for, mas não passa de 200 coroas. Pra Viena é mais ou menos o mesmo preço por trecho, mas eles tem destinos para várias cidades, tipo Paris, Roma etc.
Quando viajo para Praga ou Viena, prefiro ir de trem pois é mais confortável e espaçoso (falei um pouquinho disso aqui), mas os ônibus da Student Agency são as melhores opções pra quem sai dos aeroportos. Dá pra comprar online pelo site deles (www.student-agency.eu_) e também pelo aplicativo. Super recomendo!

  8. Google Translate !

googletranslate
Acho que não tem nenhuma lista de sobrevivência ou vivência básica em qualquer lugar hoje em dia em que o Google não apareça de alguma forma! Aqui está nosso melhor amigo de todos. Ele vai te ajudar em restaurantes, lojas, supermercados etc etc etc. É fundamental pra quem não fala Tcheco (levanta a mão!).

9. SalaryCalc ou Calculation of Net Earnings (só para Android).

calculation-of-net-earnings-016363-w192

Esse é bastante útil pra quando você precisa ver qual vai ser seu salário líquido. Não é usado com frequência, mas ajuda bastante quem está chegando e/ou procurando emprego.

10. Um site: Dáme Jídlo

www.damejidlo.cz

damejidlo

Dame Jídlo significa algo como “Nossa Comida”. Não tem como eu não gostar de um site com esse nome 😀

É um site para entrega de comidas. Eles têm vários restaurantes cadastrados, você faz o pedido pelo site, eles retiram no restaurante e entregam pra você (na porta do seu prédio, e não na porta do seu apartamento). Você pode pagar online – com cartão, ou na entrega – em dinheiro. Tem uma variedade de restaurantes muito boa e preços excelentes. Bem, os preços são os normais da cidade 🙂

Tem o app deles também, mas só em Tcheco. Já o site tem versão em Inglês.

Uma dica: se você está com fome tarde da noite, o único lugar que eu sei que entrega é o Pizza Pappi, que dá pra pedir pelo Dame Jidlo ou direto no site deles (pizzapappi.cz). Todos os dias das 10h às 2h. É pizza normal Tcheca-“Italiana”. Pizza igual as do Brasil não tem, sinto muito.

 

É isso, espero que tenham gostado e que façam bom proveito dessa maravilha que é a tecnologia (olha eu parecendo que tenho 63 anos de novo).

Na shledanou!

 

Anúncios

Quem é vivo…

Olha eu aqui. Depois de meses de “férias” do blog, voltei.

Tem sido bem corrido no trabalho, com turnos na madrugada, e eu não tinha muito o que postar também. Mas hoje tô inspirada!

O tempo aqui tem estado bem doido, mas acredito que seja em todo lugar. Teoricamente ainda estamos no inverno, mas há algumas semanas tivemos temperaturas de dois dígitos, na média dos 10 graus. Teve um dia que fez 17! Estava muito bom e agradável até que caiu bastante essa semana, chegando a fazer -5 de madrugada, e nevou duas vezes essa semana. Uma neve linda parecendo plumas, que derretia ao encostar no chão.

12784704_10208489372211142_1174391857_n

Vista da minha mesa

Algumas árvores já estão com brotinhos aparecendo, apesar do frio. A primavera está chegando e com ela muitas novidades (compartilharei conforme forem acontecendo). Esse ano vai ser sensacional!

Falando em ano, nosso fim de 2015 foi legal! Eu trabalhei igual uma camela (como meu pai diz), plantões seguidos de plantões, madrugadas etc, mas folguei no Natal e recebemos os amigos em casa. Foi bem diferente de 2014, tinha umas 10 pessoas a mais em casa! E foi a primeira vez que eu preparei uma ceia de Natal completa! Muito orgulho de mim mesma 🙂 Eu adorei preparar tudo, desde os enfeites da casa, até as comidas, sobremesas, etc. Mais uma vez ficamos até as 6 da manhã batendo papo e nos divertindo, adorei!

O ano novo foi bem mais discreto. Eu trabalhei no dia 1, no turno da manhã que começa às 7h, então não pude fazer nada em casa. Só estava um amigo, o Lucas, o Charlie e eu. Jantamos, vimos os fogos, e fomos dormir.

3370_10208023240198133_3157201226844861426_n

Dia 14 de Fevereiro foi o tal do Valentine’s Day. Aqui é comemorado igual no Brasil: emprestado dos EUA. A data mesmo é em Maio, se não me engano. Mas tudo é motivo pras lojas se aproveitarem e encherem os bolsos de bufunfa. A diferença é que aqui as promoções são promoções mesmo. Mesmo. Não é tudo pela metade do dobro, não. Se uma loja tem placas de “Promoção! Aproveite!” vale a pena aproveitar mesmo. Sempre deixo pra comprar roupas nessas épocas. Roupas por aqui já são baratas, nas épocas de promoção então, vira o paraíso. Durante as épocas normais, eu entro nas lojas, vejo as roupas que quero e só aguardo, porque invariavelmente vai entrar em promoção, eventualmente. Já compre jaqueta de 1000,- coroas por 100,-!

Enfim. No Valentine’s Day passado ficamos sabendo que ia ter uma promoção enorme no Outlet que tem em Praga. Descontos de até 90%. Se fosse no Brasil eu desconfiaria. A palavra “até” joga uma pulga atrás da minha orelha imediatamente. Mas sendo aqui, eu resolvi dar o benefício da dúvida. E lá fomos nós, Lucas e eu. Pegamos o trem cedinho e chegamos no Outlet às 10:30, meia hora depois de ter aberto. A estação central da cidade tem conexão com o metrô, fomos até uma certa estação de onde sai um ônibus de transporte do próprio Outlet, que nos deixa lá dentro, de graça.

Dica: Ao comprar passagem de trem, você pode fazer reserva de assento. Às vezes é de graça, dependendo do trem e do dia/horário, às vezes é pago (barato, mas pago). Se você não reserva lugar, tem que ficar procurando um lugar livre pra sentar, e se você estiver com mais alguém isso pode ser um problema e vocês não sentarem juntos. Mas a dica é: reservando ou não, assim que subir no trem vá para o vagão do restaurante. Lá você se senta confortavelmente à uma mesa, pode tomar um café ou comer algo enquanto viaja, e a janela é maior pra você admirar a paisagem 🙂

O Lucas e eu não ligamos pra roupas de marca, o que a gente gosta mesmo é de roupa barata. Mas como o Lucas usa tamanhos grandes e gosta de roupas esportivas, fomos com a intenção de ir ver a loja da Adidas, Nike etc, que é onde ele geralmente acha roupa pra ele. Mas o que vale mesmo é o preço. Pra gente, não adianta nada ter 90% de desconto em uma peça se o preço final ainda é alto pros nosso padrão. Tem que ser barato, se é 90% de desconto ou 10, o que quero mesmo é saber quanto vai sair do meu bolso.

Pois minha gente, nesse dia valeu a pena, viu!
Honestamente não sei se em dias “normais” ele compensa, porque muitas lojas tinham aquelas promoções bizarras, tipo a Lacoste, com roupas com desconto mas que custavam 60 euros no final (eu passo).

Eu recomendo se cadastrar no site do Outlet pra receber as newsletters e saber quando tem dias de promoções especiais: http://www.fashion-arena.cz/

Pra chegar, é fácil (tem instruções no site também mas aqui tem uma dica boa): da estação de trem (Hlavní Nádrazí) você estará na linha vermelha do metrô (Linha C). Vá até a estação Muzeum e pegue a linha verde (A) sentido Depo Hostívar. É nessa última que você deve descer. Acontece que nessa linha verde tem trens que vão até o finalzão (Depo Hostívar) e trens que param uma estação antes (Skalka). Só Deus e o sistema de transito de Praga sabem o porquê. Quando fomos, tínhamos em mente “descer na última” e quando o trem parou na Skalka ficamos assim:

giphy

Então não se assuste se o trem parar na Skalka e a voz falar que todos têm que descer. Desça e espere o próximo que virá.

Chegando na Depo Hostívar, é só seguir o fluxo que você vai dar no ponto de onde sai o ônibus do Outlet. É possível checar os horários do ônibus no site acima.

Tem uma praça de alimentação lá onde você pode parar pra descansar um pouco e matar a fome. Mas se você não gostar das opções que tem lá, pode ir no McDonald’s que fica do lado de fora, num posto de gasolina. É só você ir no meio do estacionamento do Outlet e procurar um poste alto com o grande M amarelo e ir. Saindo do ônibus, na chegada, você já consegue vê-lo.

Bom, fica aí uma dica de compras em Praga. Dá pra ir num sábado, dormir por lá e curtir a cidade no domingo. Sempre vale a pena dormir em Praga 🙂

Voltei!

Blog abandonado – quem nunca?
Desculpem-me pela demora. O mês de Julho passou sem nenhum post sequer, e não ia deixar o mesmo acontecer com Agosto. Sem demora, explico: recebemos a visita dos meus sogros entre esses dois meses, então eu estava ocupada com preparativos e viagens.
Desde que comecei com essa história de viajar e morar fora, em 2006, me interessei muito pelo assunto. Gosto muito de pesquisar sobre imigração, vistos, passagens aéreas etc. Então quando alguém da família vai viajar, eu costumo dizer que abro a minha agência de viagens e ajudo no que posso, pois é realmente prazeroso pra mim. Então quando meus sogros avisaram que vinham, e trariam a avó do Lucas também, mais do que prontamente me pus a procurar passagens e ajudá-los com documentação. Quem sabe um dia eu possa fazer isso profissionalmente? Faço tantas coisas aleatórias por puro prazer, que um dia vou abrir uma empresa e chamá-la de “Natalya Life Arrangements: travel agency, immigration, photography, baking, real estate and jobs” . Haha. Bem, o mês de Julho se passou dessa forma, preparando-nos para recebê-los, e o mês de Agosto se passou enquanto viajámos com eles! Foi bom demais. Tivemos a oportunidade de conhecer Praga (dessa vez com mais calma), Lisboa (+ Fátima e Óbidos), Viena e Cesky Krumlov. O plano também incluía Budapeste, mas cancelamos de última hora devido ao calor extremo. Contarei os detalhes das viagens em posts futuros.

Vamos ao assunto deste.

Pense numa língua lazarenta. Pense numa língua pior que essa primeira que você pensou. Agora adicione sons dificílimos de serem reproduzidos. Mais um pouco e você chega no Tcheco.
Falar Tcheco é um desafio. E mesmo vivendo aqui e estando imersa no idioma, é quase impossível aprender naturalmente. O Tcheco é uma língua eslava falada só aqui por mais ou menos nove milhões de pessoas. É bem parecido com o eslovaco, as duas línguas são mutualmente inteligíveis e igualmente difíceis. E dá pra acreditar que nesse país super pequeno três vezes menor que o estado de São Paulo tem dois dialetos? Aqui na região da Morávia fala-se um tipo de Tcheco enquanto que na região da Boêmia, outro.
Há quase um ano morando aqui o máximo que eu consegui realizar foi pedir a comida, bebida e a conta nos restaurantes. Mas se o garçom sair do script, ferrou!

Em Abril começamos um curso gratuito de Tcheco oferecido pela União Europeia para cidadãos de países fora da UE. Foi um curso para iniciantes e meus colegas de classe eram em peso os meus colegas de trabalho. Não consegui concluir o módulo devido ao meu horário de trabalho, mas o pouco que eu fiz deu pra aprender algumas palavras e números. O progresso é bem lento.

Mas uma coisa eu tenho que admitir. Apesar de haver palavras com três acentos diferentes e nenhuma vogal, uma vez que você aprende os sons das letras fica fácil ler qualquer coisa (mesmo que você não entenda). Não é como o Inglês que o “I” tem pronúncias diferentes dependendo da palavra. No Tcheco, cada letra é um som e ponto final. Deixa até Português no chinelo, nesse aspecto. Uma vez um aluno de Português aqui me perguntou o porquê da pronúncia da palavra “neve” ser como é, e não “nêvê” ou “névé”. Porque Deus quis, oras.

 Algumas palavras e frases básicas que você tem que vir já sabendo:

Dobrý den = bom dia

čau = tchau (mesma pronúncia)

Ahoj = olá (informal) – o “j” tem som de “i”

Dekuji = obrigado

Prosím = de nada / por favor

Dobrou chut’ = bom apetite – o “ch” tem som de “rr”

Na zdraví = saúde

Pivo = cerveja.

Jedno pivo, prosím! = uma cerveja, por favor!

Jedno kolu, prosím! = uma coca-cola, por favor!

Nerozumím česky = Não entendo Tcheco. – o “č” tem som de “tch”, como em tchau.

Rozuminte anglicky? = Você entende Inglês? – o “c” tem som de “ts”, como em pizza. SEMPRE.

Quero voltar a estudar, dessa vez com mais afinco, e aprender essa língua de uma vez por todas! É difícil, mas não impossível!

Aqui o site do Centro de integração de Estrangeiros, pra quem se interessar no curso de Tcheco: http://www.cizincijmk.cz/folder/185

Lembrando que é só pra quem é cidadão não-europeu!

Na shledanou!

(Até a próxima!)

O dia em que eu apresentei sobre o Brasil para crianças Tchecas

Ontem aconteceu algo super legal! Pelo título dá pra ter ideia e quem viu meu Facebook ontem também já sabe. Mas aqui tem tudo tim-tim por tim-tim. Antes de contar, porém, preciso fornecer um contexto. Vamos a ele.

Depois que o Lucas foi aprovado pra entrar na IBM daqui, em Fevereiro de 2014, começamos a procurar alguma vaga em que eu me encaixasse na IBM também, afinal eu tenho mais de 4 anos de experiência na área e o domínio de Inglês me ajuda muito, mesmo tendo estado fora da área de TI há 3 anos. Achamos uma vaga e fiz entrevista pra ela em Março. Recebi a aprovação duas semanas depois, e fiquei esperando pelo contato do RH da IBM para prosseguirmos com a parte de visto/contrato etc. Infelizmente, justamente nessa época, a IBM entrou em freezing de contratações, ou seja, mesmo tendo a vaga, não podem contratar ninguém até que tudo se “descongele”. E esse descongelamento foi acontecer somente em Setembro, quando já estávamos aqui. Então infelizmente não consegui pedir meu visto de trabalho estando no Brasil.
A IBM gostaria que eu começasse a trabalhar em Novembro/Dezembro de 2014, alguns meses depois da minha chegada, tempo suficiente pra eu fazer a troca do meu visto de dependente. Para surpresa de todos, descobri (através de uma empresa de consultoria) que eu não poderia solicitar o visto logo após minha chegada, que existia um prazo a ser obedecido, e que somente a partir de Dezembro eu poderia solicitar. OK! IBM empurrou minha data de início para Fevereiro, então. No início de Dezembro enviei minha aplicação para a prolongação do visto de dependente (que me dá permissão de trabalhar em qualquer lugar pelo período que o Lucas tiver o visto dele), e só então os oficiais do departamento de Imigração me informaram que, para eu ter esse visto “aberto” para o mercado de trabalho, o meu marido precisa ter morado na República Tcheca por, no mínimo, 6 meses, que serão completos dia 11 de Março! Para meu desespero, fiquei sabendo que só poderia enviar minha aplicação após essa data e ainda esperar o tempo de processamento e, só então, poderia começar a trabalhar. Ou seja, previsão de início na empresa só para segunda quinzena de Abril.

Pensem no meu desespero. Estou desde Agosto/14 sem trabalhar. Não aguento mais assistir Netflix o dia todo. Estou ficando burra e preguiçosa, fora os quilos a mais aparecendo na minha barriga. E antes que vocês pensem em me dar conselhos sobre exercício físico: não dá pra eu fazer uma caminhada na rua numa temperatura de -10 graus (nem no Brasil em temperaturas amenas eu fazia isso, que dirá aqui!) e estou com um problema no meu joelho. Estou ficando louca.

Vendo esse meu desespero por atividades, uma amiga – Tcheca – mãe de dois filhos lindos, teve uma ideia. Conversou com a professora da menina (mais velha, 7/8 anos) e sugeriu que eu fosse até a escola fazer uma apresentação sobre o Brasil para a turma dela. É uma turma especial, de 12 alunos, que são mais avançados que os outros (QI alto e tal). Eles têm aulas de inglês normalmente, mas não é uma escola bilíngue, então o conhecimento da língua é básico, com exceção de 3 ou 4 alunos que falam inglês por causa dos pais. E eu aceitei, alegremente, esse desafio.

Cheguei na escola – pública – e junto com a Magdalena (quem teve a ideia), fomos pra sala de aula esperar pelos pequenos. Já comecei babando pela sala de aula. Super linda!

Sala de aula

sala de aula

Super equipada!

sala super equipada!

 

Os pequenos foram chegando aos poucos, e ficaram conversando sobre quais perguntas fariam pra mim – foi combinado que eles trariam perguntas que eu responderia (ou tentaria) ao final da apresentação. A professora incentivava-os a escrever as perguntas em Inglês então eles ficavam perguntando uns aos outros como se falava isso e aquilo em inglês.

Turma ainda incompleta...

Turma ainda incompleta…

Foi MUITO legal. A apresentação durou cerca de uma hora, durante a primeira aula deles. Juntaram duas turmas, então tinha um total de vinte alunos + duas professoras + a mãe-intérprete que foi quem teve a ideia. Sugeri que sentássemos em roda, e, minutos depois, todos estavam prontos. A professora fez uma introdução, mostrando num globo onde ficava o Brasil e a diferença de tamanho entre Brasil e República Tcheca. Mas eles pareciam já saber daquilo tudo, o que me deixou um pouco nervosa porque eu havia preparado uma apresentação englobando vários aspectos do Brasil e comecei a temer que nada daquilo fosse ser novo pra eles. Então comecei perguntando o que eles sabiam sobre o Brasil, e eles sabiam várias coisas. Sabiam que era muito grande, que a Floresta Amazônica fica lá, que o maior rio do mundo fica lá, que o esporte favorito é o futebol, que temos muitas frutas, que tem muitos macacos na floresta etc.

Comecei passeando com eles pela geografia do Brasil: a divisão das regiões, principalmente a região onde fica a Floresta Amazônica e a região de onde eu venho. Comparamos o tamanho dos estados do Brasil com a República Tcheca – todos ficaram impressionados em saber que é menor que o estado do Maranhão. Falei que somos o único país a falar Português na América do Sul e ensinei algumas palavras pra eles. Falei também que na época de Natal nós no Brasil vamos à praia, e eles também ficaram impressionados em saber que não tem neve lá. Mostrei fotos do que as crianças fazem na praia, brincando de construir castelos na areia, nadando naquele mar lindo rodeado por árvores verdinhas! Mostrei imagens da Floresta Amazônica, dos animais que vivem lá, perguntei o que eles fariam se vissem uma onça-pintada. Falei sobre o futebol, mostrei uma foto do Neymar e todos sabiam quem era – exceto as professoras! Conversei com eles sobre o que comemos no Brasil, sobre brigadeiro, pizza doce e abacate batido com leite! Falei que temos a primeira mulher-presidente, e perguntei quem dali seria a primeira mulher-presidente da República Tcheca (uma menininha levantou a mão rapidinho!). Falei do Carnaval, que o país todo pára pra dançar e se divertir (mostrei imagens inocentes de carnaval de rua). Uma menina levantou a mão e, espantada,  perguntou “até as escolas param de ter aulas?”.

10581162_844797358910458_1362255385_o 10888590_10205544751517465_655456383169664800_n

10927258_844797855577075_1660863966_o

E aí vieram as perguntas. Algumas eu não soube responder, como “Qual o tamanho do Rio Amazonas?”, a que eu respondi “Não sei ao certo, mas são muitos e muitos quilômetros!” (escapei na tangente), ou “Quantos times de futebol tem no Brasil?”, resposta: “Centenas. Mas diria que dez times principais” – entendedores de futebol, podem me zoar, não sei de nada. Dez, pff, imagina, dez!  Perguntaram também coisas tipo “No Brasil planta-se pepinos?” e “Qual a bebida mais popular?”, a que eu respondi ser a caipirinha, conhecida mundialmente, feita de bebida alcoólica e limão – mas o limão verdinho, e não o amarelo que eles estão acostumados a ver aqui. Ao que um garoto levanta a mão e pergunta: “Por que o limão verde e não o amarelo?” hehehe. Crianças atentas e inteligentes 🙂

Levei brigadeiro pra eles, que se lambuzaram todos! Levei também uma folha com desenhos para colorir, com vários animais da Floresta Amazônica.

Brigadeiros brasileiros pra garotada :)

Brigadeiros brasileiros pra garotada 🙂

Distribuindo de brigadeiros

Distribuindo de brigadeiros

Foi uma experiência única! Muito bom estar rodeada de crianças curiosas! Me deu muita saudade dos tempos de escola e uma vontade louca de estudar.

IMG_0676

As professoras me agradeceram efusivamente e me deram um presentinho!

10940577_10205544752357486_2666689489772208124_n

Adorei! Se eu pudesse, sairia de escola em escola levando um pouco de conhecimento e cultura do Brasil pras crianças daqui. Espero que eu tenha feito um bom trabalho de ‘embaixadora’ do meu país!

P.S. Fiquei sabendo que, depois que eu fui embora, eles ficaram se perguntando se eu já tinha encontrado uma onça-pintada alguma vez e o que será que eu tinha feito pra escapar dela 🙂

 

 

Adeus ano velho, feliz ano novo!

Os duendes de estatísticas do WordPress.com prepararam um relatório para o ano de 2014 do Vivendo em Brno.

2014 chegou ao fim, e quero agradecer a todos vocês pelas visitas, comentários e e-mails…
Parte das minhas resoluções de Ano Novo é estar mais presente aqui no Blog, sempre postando novidades e experiências da nossa vida em Brno.

Um Feliz Ano novo a todos, vejo vocês por aqui em 2015!!

Aqui está um resumo:

Um bonde de São Francisco leva 60 pessoas. Este blog foi visitado cerca de 1.500 vezes em 2014. Se fosse um bonde, eram precisas 25 viagens para as transportar.

Clique aqui para ver o relatório completo

Procura por Aptartamento & Nosso bairro

Desde que ficamos sabendo da mundança pra cá, mais ou menos em Março deste ano, começamos a procurar apartamentos na internet. Totalmente às escuras, sem saber onde fica o quê, fizemos buscas e mais buscas no Google. Mas de Março a Setembro são seis meses, e isso é um tempo muito grande quando se trata de busca de apartamentos, pois a maioria estava disponível para aquele mês, ou os meses próximos. Continuamos procurando pra ir tendo noção dos preços e bairros, mas pegamos pra valer na busca mesmo lá pra Junho/Julho.

Acontece que Brno é uma cidade com muitas universidades, e o ano letivo aqui começa em Setembro. Então o que ocorre é que nos meses que antecedem o início às aulas, os estudantes se unem e alugam um monte de apartamentos pela cidade, e não sobra muita coisa. Como nós tínhamos certas exigências para o lugar que fôssemos morar (tem que ter sacada, por exemplo, por causa do Charlie, e o Lucas não abre mão da máquina de lavar louças, rs), resolvemos procurar pra valer e fechar um contrato o quanto antes pra garantir algo bom.

Existem vários sites de busca de apartamentos, e a maioria são em tcheco somente, mas usando o Google Chrome, dá pra traduzir as páginas e procurar na boa. Os sites que olhamos foram:

www.bravis.cz

www.sreality.cz

http://www.foreigners.cz

http://www.bezrealitky.cz

A vantagem do último é que são anúncios diretamente com o proprietário, então você evita de ter que pagar comissão pras agências. A vantagem de ter agência é que na maioria das vezes eles falam inglês, e seu senhorio provavelmente não vai falar nada além de tcheco, então eles fazem o meio-campo pra você, enviam contrato em Inglês além de toda a comunicação em Inglês diretamente com ele pelo tempo do seu contrato.

Nós acabamos alugando com agência porque o apartamento que gostamos estava listado em uma, então não teve muito jeito.

Demos sorte porque no mês de Junho, enquanto estávamos firmes nas buscas, o Radek esteve em Brno a trabalho, e fez o maior favor do mundo de ir ver o apartamento pessoalmente pra gente. Tirou fotos, fez desenho da planta, e disse que ele mesmo já havia morado no bairro, que é excelente, localização perfeita e preço bom. Não deu outra, fechamos na hora. Estava concorrido, tinha mais gente querendo o apartamento, então pra garantir, iniciamos nosso contrato em Agosto (pagamos o mês inteiro de Agosto sem ter morado, snif snif).

Quando estávamos na busca, notamos umas coisas estranhas nos anúncios:

bravis1

Observe as opções de tipos de apartamento, na coluna ao lado esquerdo, no fundo preto

bravis2

1+kk   1+1     WTF?

O que é isso? 1+kk? 2+1?

É o seguinte: por aqui eles não dividem o apartamento ou casa como nós dividimos no Brasil. No Brasil, falamos que o apartamento tem 2 ou 3 quartos, e já se pressupõe que ele, além dos quartos mencionados, tem sala, cozinha e banheiro.

Pois bem, aqui eles falam o total de salas que o apartamento tem. O meu apartamento é de 2 quartos (+ sala, cozinha e banheiro, como no Brasil), mas aqui nós dizemos que meu apartamento é um 3+kk. Ou seja, 3 salas (uma delas é a sala, então os outros consequentemente são os quartos), e o KK significa a cozinha. Se estiver só KK significa que a cozinha é uma ‘kitchen corner’, ou seja, faz parte da sala, como as salas conjugadas do Brasil, que tem acesso à cozinha. Se for 3+1 significa que a cozinha não é parte da sala, mas é um cômodo isolado. Tendeu? Meio esquisito mas é isso aí!

Nosso bairro aqui é super bonitinho!!! Não sei ainda se o bairro tem nome, ou se usam só a avenida principal que passa aqui como referência, a VeveříEla é uma avenidona que liga o centro ao norte da cidade. Nosso prédio fica à duas quadras dela, o que é uma conveniência muito grande, porque é nela que passam os bondes pro centro e pra IBM (norte).

brno

A distância da nossa casa pro centro é de 10 minutos de caminhada, bem pertinho, e é uma caminhada bem gostosa de fazer (se não estiver chovendo ou -10 de temperatura). Daqui pra IBM são 15 minutos de bonde, uma distãncia de mais ou menos 4 kilômetros, o que não é nada mal também. Num dia com mais disposição e tempo agradável, dá pra ir andando…

O bairro é bem residencial, mas tem pequenos comércios também, vendinhas, lojinhas de conveniência, mini padarias, farmácias, bares (claro!). Nas avenidas maiores ao nosso redor, tem restaurantes maiores, lojas de roupas etc. Aqui por perto só não tem bancos e shopping center. Pros bancos, temos que ir até a próxima parada do bonde no centro, ou descer à pé. Tem todos os bancos no mesmo lugar. E shopping também no centro, até agora só fui em um mas tem outro com cinema bem no centrão.

Nosso prédio é esse à esquerda, verde...

Nosso prédio é esse à esquerda, verde…

O prédio verde é o nosso

O prédio verde é o nosso

IMG_20140915_180638 (1)

Rua tranquilex

IMG_20140915_180758

Aqui os carros param assim, em cima da calçada. Não tem espaço se todos pararem em filas, então pode estacionar assim sem problemas. E as calçadas são bem largas, então não atrapalha o trânsito dos pedestres, e a rua fica livre para o trânsito dos carros!

IMG_0124

Rua Veverí, sentido centro

IMG_20140915_181158

Ponto de bonde na Veverí (aqui eles falam estação, e não parada ou ponto)

IMG_20140915_181241

Nessa calçadinha que você espera pelos bondes

Cozinha do apartamento

Interior – Cozinha 

Vista da entrada = sala

Vista da entrada = sala

vista geral

vista geral

Varanda/terraço enorme

Varanda/terraço enorme

E aí fica um pouquinho mais de Brno e da nossa casa pra vocês 🙂

A viagem do Charlie

Bastante gente que acompanha o blog também me acompanha no Facebook, então a maioria sabe o porquê da minha ausência.

Lembra que eu comentei (aqui) que iria passar uns dias em Brno com o Lucas, depois iria voltar pro Brasil pra buscar o Charlie? Pois foi isso que eu estava fazendo… Voltei pra Campinas e vivi a semana mais corrida da minha vida, mas deu tudo certo, já estou em terras Tchecas novamente e agora a família está completa de novo! 🙂

O Charlie estava no Brasil em “quarentena” devido ao processo super burocrático pra trazê-lo pra União Européia (como eu contei aqui). Ele teve que ficar 90 dias sem sair do país, então no dia seguinte ao 90o, fui correndo fazer a última parte: corri atrás da veterinária dele pra ela fazer o atestado de saúde dele e com esse documento em mãos fui ao aeroporto de Viracopos, no Ministério da Agricultura, pra conseguir a emissão do CZI – Certificado Zoossanitário Internacional – que é o que permite a entrada dele por aqui.
Eu tinha horário marcado para as 14h. Cheguei em ponto. Fui atendida rapidamente, pediram pra eu preencher um formulário e aguardar. Aguardei, aguardei e aguardei. Uma meia hora depois, chegou o fiscal, examinou todos os documentos, e disse: “Não podia esperar mais um dia não?”. Inacreditável. Ele acha que 90 dias são 90 minutos? Ele tá pirado? Se diz no procedimento ’90 dias’ então são NOVENTA dias, não 91 ou 92 ou 90 e 10. Mas como eu estava na frente de um fiscal federal com poder de emitir ou não o documento (ou pelo menos me dar dor de cabeça), respirei fundo e disse: “Mas eu esperei. Hoje completa 91 dias. Contei no calendário umas cinquenta vezes pra ter certeza. he he he. ” (que ódio!).
Ele olhou tudo, viu que estava tudo em ordem, e pediu pra eu aguardar.
Esperei duas horas e quinze minutos. Numa sala sem sinal de celular. Tive que socializar, rs. Tinha um senhor também esperando o CZI dele, puxou assunto e ficamos conversando. Ele esteve na Itália recentemente e fez questão de me mostrar todas as fotos da viagem, me dizendo que vou amar a Europa e tal e tal e tal. Um fofinho.

Pois bem, duas horas e tantas depois, o doutor (médico veterinário), me chama pra eu conferir e assinar o documento. Assino aqui, assino ali, leio isso e aquilo e percebo que em lugar nenhum encontrava-se escrito o país em que o cachorro estava indo. Questionei. Ele disse que realmente havia um campo que deveria estar preenchido. Lá vai ele imprimir e carimbar tudo de novo. Mas é melhor assim, prefiro errar pelo excesso do que pela falta. Imagina se isso é questionado depois? Sinceramente, examinando o documento com mais calma, ele diz algo como ‘autorização para entrada de animais na União Européia’, então não importa muito o país exatamente. Mas na dúvida, achei melhor ele escrever, inclusive, o país onde eu entraria na UE (Alemanha) e meu destino final.

Certificadozinho chato de conseguir!

Certificadozinho chato de conseguir!

Documento em mãos, fechei as malas e no dia seguinte partimos para o aeroporto. Na manhã da viagem, dei comida e água pro Charlie, em casa, e passeei com ele pra ele cansar e fazer as necessidades logo antes da partida. No caminho fui dando mais água, e quando chegamos ao aeroporto, desci com ele e andei novamente pela grama pra ele fazer mais necessidades. Fiz o check-in direto no balcão da cia aérea (escolhi a Lufthansa pela reputação impecável com transporte de animais, e ouvi dizer que a KLM é muito boa também). Eles não conferem nenhum documento do animal, o que eu achei estranho (já pensou se alguém acha que está tudo OK mas esqueceu de algo, imagina o transtorno ao descobrir isso só ao chegar na Europa. Mas também, por outro lado, cada um saiba da responsabilidade de uma exportação dessas). Nem pesaram a casinha/gaiola, só me pediram peso estimado. Preenchi um formulário que vai colado na casinha, paguei a taxa em um outro balcão (ninguém nunca pediu pra ver o recibo desse pagamento), deu 600 e poucos reais – muito barato! – e despachei ele num lugar de malas que são acima do tamanho normal. E lá se foi o Charlinho… Dá um aperto no coração! Saber que ele ficaria sozinho e estranhando tudo por horas e horas…

Tadico!! :-(

Tadico!! 😦

"papai to chegandooo"

“papai to chegandooo”

Assim que entrei no avião e me sentei, perguntei para a aeromoça se ela poderia confirmar se o meu cachorro estava à bordo. Ela confirmou e só então fiquei menos tensa. A cada turbulência, por menor que fosse, eu só pensava nele, e mentalizava um “calma neném…”. Quem sabe ele ‘ouviria’ isso? Dizem que os animais têm uma percepção especial das coisas, e eu acredito nisso…

Doze horas depois, eu estava chegado em Munich, onde fiz uma conexão (ou escala?) de 2 horas. Era um aviãozinho pequeno, então pegamos um ônibus no portão que nos levou até ele, e no caminho, ao contornar o avião, eu acho que vi um funcionário da Lufthansa falando/fazendo algo com o Charlie. Vi um funcionário agaixado no compartimento de bagagem, meio que falando com uma caixa enorme. Acho que era o Charlie, não sei. Assim que entrei, também já pedi pra confirmarem se ele estava dentro. Confirmaram, e eu capotei – dormi profundamente o vôo inteiro de 40 minutos até Praga, acordei com o baque do avião no chão. CHEGAMOS!

Fui correndo pegar a minha mala, e depois fui mais correndo ainda no lugar de malas maiores, buscar o Charlie. Logo no corredor já vi um carrinho de malas com a caixa dele. Cheguei, já falei com ele através dos buracos, e comecei a tirar documentos da mochila. Foi quando percebi que estavam me olhando com uma cara estranha. Perguntei, então, se precisavam de algo de mim, mas disseram que não. Então peguei o Charlie e me mandei. Nesse momento achei estranho não pedirem nem meu comprovante de bagagem…

Fui então em direção à saída, pelo portão da Alfândega de quem tem coisas à declarar. Foi aí que me pediram o documento, passaporte e cartão de embarque. Entraram pra salinha e voltaram com o leitor do chip. Pediram pra eu fazer a leitura… Foi rápido, em uns 3 segundos já reconheceu o chip, conferiram com o documento, e, já que eu estava ali, aproveitaram e pediram pra passar minhas malas pelo raio-x. Eu louca pra sair de lá com o Charlie logo e os caras embaçando.

Mas enfim saí, o Lucas já estava me esperando e me ajudou com o Charlie que já estava no chão pela guia (na hora de abrir a casinha pra ler o chip, ele pulou pra fora!).

O Lucas contratou um motorista com um carro grande, tipo Caravan, pra levar a gente até Brno. A viagem de trem seria longa e mais cansativa pro Charlie, e de ônibus não teria como, então essa foi a melhor opção pra gente. Fizemos uma boa viagem de carro, eu dormi a maior parte, e o Charlie também tirou um cochilo, e finalmente depois de 24 horas viajando, chegamos ao nosso novo lar!

À noite, saímos pra jantar, e depois aproveitamos bastante a companhia uns dos outros!

IMG_20140924_200503

Ta friozinho!!! 

Charlie está adorando, já passeou na rua várias vezes, já pegou o tapete de entrada e um par de meias, ou seja, já está 100% recuperado da viagem! Logo logo começo o álbum de fotos dele pela cidade 🙂