Chegamos! :-)

CHEGAMOS!

Já faz um tempo que não escrevo mas volto com boas novas: já estamos em solo Tcheco e a cidade de Brno está se mostrando simplesmente sensacional.  Foi tudo muito rápido entre sair o visto, fazer as malas e viajar. Pra ser bem precisa, isso tudo aconteceu em 3 dias.

Contarei: saímos de São Paulo no domingo, fomos até Nova Iorque (fizemos dois vôos porque estávamos em passagens de ‘stand by’ cedidas por uma amiga), e depois seguimos de lá até Praga. Em Nova Iorque passamos o dia, mas não fomos conhecer Manhattan nem nada disso, porque apesar de termos voado em classe executiva (oh yes!), estávamos cansados e tínhamos outro vôo (em econômica) pela frente, então preferimos nos resguardar. Pegamos um quarto de hotel de aeroporto, dormimos o dia inteiro e ao fim da tarde estávamos revigorados pra seguir viagem.

Eu esbanjando na Executiva

Eu esbanjando na Executiva

Brincando de "O Iluminado" no hotel em NY

Brincando de “O Iluminado” no hotel em NY

No hotel em NY indo de volta pro aeroporto...

No hotel em NY indo de volta pro aeroporto…

Sobrevoando a República Tcheca

Sobrevoando a República Tcheca

Depois de 2 dias, finalmente!!!

Depois de 2 dias, finalmente!!!

Chegando em Praga, compramos passagens de ônibus pela Student Agency. Pagamos 500ck mais ou menos (cerca de 50 reais) e a viagem durou cerca de 4 horas (com uma parada de meia hora numa parada para troca de ônibus). Essa foi a parte mais cansativa da viagem. Os ônibus da Student Agency são relativamente confortáveis se você é magrelo (a) e baixinho (a). Qualquer pessoa fora desse padrão já sofre um pouco. Mas o preço é bom e o serviço é excelente. Tem ar-condicionado, TVs individuais, servem bebidas quentes durante a viagem (cafés, chás) e não cobraram nada pelas nossas 4 malas de 32kg cada + malas de mão! Excelente negócio!

Chegamos!!

Chegamos!!

Lucas SUPER animado antes de pegar o ônibus para Brno

Lucas SUPER animado antes de pegar o ônibus para Brno

Muita mala? Onde? Quando?

Muita mala? Onde? Quando?

Cansados mas felizes da vida

Cansados mas felizes da vida

Um pouquinho de Praga

Um pouquinho de Praga

Ônibus meio apertado, mas até bebi café com leite e assisti Friends!

Ônibus meio apertado, mas até bebi café com leite e assisti Friends!

Brno!!!

Brno!!!

Feira livre

Feira livre

Centro de Brno

Centro de Brno

IMG_20140910_135656

Nós e o colega Pinto, que dizem ser um relógio (!?).

Nós e o colega Pinto, que dizem ser um relógio (!?).

Chegamos na estação central de Brno, pegamos um táxi e fomos direto pro apartamento, onde a corretora estava nos esperando pra assinar o contrato e entregar as chaves. Devo ressaltar aqui que tivemos que chamar um táxi especial (com a ajuda do nosso amigo Luciano, que fala Tcheco fluente – mais sobre a língua nos posts futuros), por conta das malas enormes e pesadas. Enviaram uma van para 7 pessoas e já esperávamos um preço mais caro do que o normal, porém fomos surpreendidos com uma tarifa de 130ck (13 reais, mais ou menos), sem cobrar nadinha a mais por nada. O trecho era curto, uns 4km, mas mesmo assim achei o preço muito bom! Recomendo sempre o CityTaxi para andar pela cidade!

Nosso apartamento é super legal! Foi alugado pela internet através do Home4Living. Quando estávamos procurando apartamento, vimos em várias imobiliárias, mas acabamos fechando com essa – vou escrever mais sobre moradia depois. Estamos muito contentes!

Por enquanto só andamos à pé então deu pra conhecer o nosso bairro e também o centro, que é bem perto (10 minutos de caminhada). Hoje só choveu choveu e choveu, então pegamos ônibus e bondes pela primeira vez. São excelentes, idênticos ao de Toronto (deve ser o mesmo fabricante) e funciona muito bem: pontuais e com um sistema que cobre a cidade inteira, além de serem novinhos e bem cuidados.

Chuva, chuva e mais chuva

Chuva, chuva e mais chuva

Igreja Vermelha à noite, na chuva.

Igreja Vermelha à noite, na chuva.

Enfim, em casa! Nossa nova casa!

Nos próximos dias vou postando mais e com mais detalhes!

Levando o Charlie para a República Tcheca

charlieeu

Difícil alguém ainda não conhecer a peça, mas esse bonitão aí na foto comigo é o Charlie!

O Charlie é Canadense e já fez uma viagem longa de Toronto a São Paulo em 2010, quando retornamos do Canadá, então ele manja dos paranauê.

Dá um dózinho muito grande de imaginar o dog sozinho na jaulinha dele, por 15 horas e tralalá, mas não tem o que fazer, infelizmente. Queria poder levá-lo no meu colo, mas companhias aéreas pra esse tipo de público ainda não existem, então a gente se vira como pode.

Quando viemos do Canadá, o processo foi bem simples porque a entrada de animais no Brasil é bem tranquila, mas depende do país de origem também. Só foi preciso de vacina contra raiva, um certificado de saúde do veterinário dele endorsado por um veterinário do Ministério da Agricultura deles lá, e pronto. Chegando no Brasil, paga-se isso, paga-se aquilo, e pronto.

A entrada de animais na União Européia é relativamente fácil. O procedimento depende mais do país de origem do animal. O Brasil ainda é, infelizmente, um país com casos de raiva em animais, portanto, juntamente com mais um monte de outros países, obedece uma série de regras mais chatinhas.

Resumindo, é isso aqui:

Passo 1 – Colocar microchip no animal. Como o Charlie veio do Canadá e lá isso é lei, ele já tinha o microchip. É bom lembrar que não é qualquer microchip, existe um padrão exigido pela U.E. Se o chip for diferente, o dono deve possuir o leitor.

Passo 2 – Vacinar contra raiva. Se o animal teve que colocar o chip, obrigatoriamente ele tem que ser vacinado contra a raiva após o implante.

Passo 3 – Trinta dias depois da vacina, é preciso fazer um exame sorológico pra verificar se os anti-corpos da vacina estão reagindo no organismo do animal. Esse exame só é feito no Departamento de Controle de Zoonozes da prefeitura de São Paulo. É o único laboratório no Brasil que é credenciado pela U.E.

Passo 4 – Ficar de “quarentena” de 90 dias (não seria noventena? 😛 ). A partir da data de coleta do sangue para o exame, contas-se 90 dias para o embarque. ***estamos nessa fase***

Passo 5 – 90 dias depois, pegar um certificado de saúde do veterinário e levar à Vigilância Agropecuária (nos aeroportos tem, é preciso agendar dia/horário). Com o certificado do seu veterinário, você vai à Vigiagro munido de vários outros documentos pra emitir a CZI, o documento que vai permitir o embarque do seu animalzinho. Essa visita à Vigiagro não pode ser antes de 10 dias do dia da viagem.

Tem um post MUITO detalhado e  MUITO jóia nesse blog, foi aqui que eu achei tudo o que precisava pro Charlie:
http://www.pequenosmonstros.com/2014/05/como-levar-animais-para-a-uniao-europeia/

Eu vacilei nesse processo em uma coisa… Resolvi ser precavida demais e dei uma vacina anti-rábica no Charlie em Maio, sendo que já tinha uma válida ainda. Então tive que esperar 30 dias a partir da vacina pra ir fazer o exame sorológico e então começar a contar os 90 dias de quarentena. Portanto o Charlie só pode ir no final de Setembro, no dia 21 pra ser mais exata. Então no dia 21 mesmo pretendo ir na Vigiagro e embarcamos no dia 22/09.

Sim sim, o Charlie só vai em Setembro, então o plano é o seguinte:
Vou com o Lucas agora no fim de Agosto pra ajeitar as coisas no apartamento, fico uma semana por lá e volto no iníco de Setembro. Nesses dias que estarei fora, já combinamos com a tia Pri (Dra. Priscilla Manzano, nossa veterinária querida que também é PetSitter) pra ela cuidar do Charlie.

Então fico com ele aqui umas 3 semanas antes de irmos de vez!
Vai ser cansativo mas vai ser o fim da jornada……graças a Deus!

 

Silvie & Radek

Bom, vou contar uma história pra vocês. A história da maior coincidência da minha vida. A história que demonstra como que quando algo é pra ser, tudo acontece tranquilamente.

Quando o Lucas recebeu a oferta da IBM, lá atrás em Fevereiro/Março, me deu um negócio e eu pensei “E agora? O que eu faço?”. Comecei a procurar grupos no Facebook, do tipo “Brasileiros na República Tcheca”, “Brasileiros em Brno”. Achei alguns, mas a comunidade Brasileira lá, pelo menos no Facebook, é bem parada, então não ajudou muito. Expandi a busca e acabei achando um grupo chamado “Expat Women in Brno”. Apesar de não sermos expatriados, resolvi entrar mesmo assim, porque afinal contatos são contatos. 
Pedi meu acesso ao grupo, fui aceita na hora, e já me identifiquei, falei que estaria indo em Agosto com o marido e o cachorro, e que qualquer dica em relação à animais e à vida por lá em geral, seria bem vida.

Na mesma hora uma pessoa me respondeu assim:

“Oi Natalya, eu sou a fulana, sou da Inglaterra mas vivo aqui em Brno com meu marido. Tenho uma grande amiga Tcheca que se mudou para o Brasil recentemente com a família inteira. Ela tem 2 filhos e um cachorro, e é veterinária, portanto ela pode te ajudar em alguma coisa, nem que seja pra trocar informações, vou colocar vocês em contato. A propósito, ela se mudou pra uma cidade no Brasil chamada Campinas, você conhece?”

EU RI.

Não conseguia acreditar na coincidência. Uma família de Brno vivendo em Campinas. Veterinária. Com cachorro. Era demais pra mim.

Imediatamente entrei em contato com ela, marcamos de nos conhecer (nesse encontro ela levou uma outra moça Tcheca também, que estuda na Unicamp, a Zuzana), e nos tornamos todos grandes amigos!

Ela e o Radek tem nos ajudado imensamente em relação à absolutamente tudo. Desde quanto custa o kilo do arroz à qual o melhor bairro pra alugar um apartamento. Inclusive, o Radek esteve em Brno no final de Maio, em uma visita à negócios, e se dispôs a ver apartamentos pra gente (que já estávamos vendo na internet). Visitou um que estávamos interessados, tirou fotos, conversou com a corretora, desenhou a planta pra gente, enfim, deu várias dicas, que no final levaram-nos a fechar aquele apartamento! Não é demais!?

Nós também tentamos ajudá-los como podemos por aqui. Desde abrir conta no banco, tirar carteira de habilitação, CPF, explicar coisas do dia-a-dia, enfim, tudo o que eles precisam.

Realmente não posso acreditar somente que isso seja coincidência. Tenho certeza que Deus nos abençoou com essa família que tem nos ajudado imensamente. Além de grandes amigos que fizemos. Aquela coisa né, “quando é do homem, o bicho não come”, ou algo assim. Sou meio ruim com ditados (tipo Chapolim, que mistura tudo), mas quero dizer que foi incrível ver como as coisas fluem tranquilamente quando é pra ser mesmo 🙂

 

 (Texto publicado sem revisão, me desculpem qualquer coisa).

 

Visto no forno

IMG_20140801_095302

E ontem nós fomos pra São Paulo levar um pacotão de documentos no Consulado. Gente, como aquele pessoal do consulado é legal! Nem parece que você está num lugar, assim, oficial. Primeiro, porque o Consulado é instalado num casarão num bairro chique; segundo, porque o pessoal é muito legal mesmo! Super informais e gentis, sempre atenciosos e prestativos.

O pacote de documentos se refere ao Visto de Trabalho e Permanência do Lucas + meu visto de permanência. Enviamos vários documentos pra empresa que está cuidando disso, lá na República Tcheca, eles mandaram traduzir para o Tcheco, preencheram vários formulários e nos enviaram tudo. Levamos lá no Consulado, colheram nossas impressões digitais, conferiram tudo, e agora vão enviar pra República Tcheca (!) de novo. Quando for aprovado, eles entram em contato pra irmos buscar nossos passaportes com os devidos vistos. Yey! xD

Frio na barriga!

IMG_20140801_005157

Selo da tradução dos documentos, nas cores da bandeira. Fofo!

 

Comemos Svíčková em Campinas

E não é que nós comemos um prato típico Tcheco, feito por Tchecos, em Campinas?

Foi a Silvie (nossa amiga Tcheca que mora em Campinas. Não contei ainda? Próximo post…), quem fez pra nós! Ela e a família são muito queridos e tem nos ajudado muito. E no dia do jogo Brasil X Chile, fomos convidados a assistir na casa dela e a provar esse prato tão comum por lá.

svitkova

Svíčková é basicamente bife com um molho à base de legumes, que é geralmente servido com um tipo de preparado de pão. A carne é marinada por três dias e o molho é feito com o caldo da carne e legumes batidos (tipo uma papinha). PENSA NUM NEGÓCIO BOM.

A Silve nos disse que o verdadeiro svíčková só é feito pelas famílias Tchecas, porque devido à necessidade de marinar a carne por muito tempo, os restaurantes foram proibidos de servir os pratos dessa forma, pois só podem servir pratos frescos. Então nós demos sorte, porque antes mesmo de sair do Brasil, comemos o verdadeiro Svíčková! Delícia!

 

 

Últimas novidades…

Faz tempo desde meu último post. Mas agora que já não estou mais trabalhando, vou tentar aumentar a frequência por aqui.

Semana passada estive em Minas Gerais, na cidadezinha de Monte Alegre de Minas, para o casamento do meu irmão. Fiz os doces do casamento e por isso passei a semana inteira por lá. Foi a minha primeira semana de “desemprego” mas não fiz nada em relação à mudança. A semana em MG foi ótima, conheci pessoas excepcionais, comi pães e queijos e pães de queijo até me lambuzar, e fui madrinha do casamento do meu irmãozinho, que agora já é homem casado! 🙂 Foi bão demais, sô!

IMG-20140720-WA0042

Gui e Thalita

IMG-20140720-WA0079

Bolo e Doces feitos por mim =)

No domingo, chegamos de manhã e descansamos um pouquinho pra segunda parte de comemorações: foi aniversário do Lucas. Tlinta e tlês, como diz ele. Reunimos alguns amigos pra uma comemoração pequena e foi ótimo! Quem tem amigos, tem tudo! Sentiremos muita falta desses momentos…

IMG_0087

Acordei na segunda-feira disposta a fazer o dia render: faxinei a casa e coloquei os móveis à venda. Anunciei as principais coisas no grupo do condomínio no Facebook, e pra minha surpresa, já vendi quase tudo! Alguns quadros já saíram da parede e o apartamento vai ficando com cara de vazio. É bom que já vai caindo a ficha melhor, mas, por outro lado, vai ficando mais espaço vazio pra saudade tomar conta…

O dia da ida está cada vez mais próximo e a ansiedade só aumenta… Agora só estamos esperando a documentação sair da República Tcheca e ir pro consulado em São Paulo pra irmos retirar nossos vistos. Isto deve acontecer nas próximas 3 semanas, mais ou menos. Enquanto isso, vou vendendo móveis, jogando fora quilos e quilos de papéis inúteis, empacotando objetos e guardando roupas.

E o tempo vai passando…

República Tcheca + a cidade de Brno

– Como é que fala o nome da cidade? – Brno. – Bruno? – Não. Bruno é nome de gente. Brno. Brrr. No. Sem vogal no meio. É chatinho mesmo de falar, e soa meio esquisito, mas ter uma vogal só na palavra dá nisso. E é pra lá que vamos: Brno, região sul da República Tcheca. A República Tcheca é um país na Europa Central (e não do Leste Europeu, como muitos acham) com pouco mais de 10 milhões de habitantes que vivem em uma área de mais ou menos 79 mil metros quadrados (cabem 3 Repúblicas Tchecas no estado de São Paulo). O país é dividido em 13 regiões (e não estados) e cada região tem sua capital. Brno é a capital da região Morávia do Sul. O país faz divisa com 4 países: Alemanha, Polônia, Áustria e Eslováquia, este último fazia parte do mesmo território (Tchecoslováquia) mas que foi separado em 1993.

Imagem

A República Tcheca faz parte da União Européia desde 2004 mas não faz parte da zona do euro. Sua moeda é a Coroa Tcheca. Um real vale mais ou menos 10 coroas.

O que mais dizer sobre a República Tcheca? Pelo que tenho visto de fotos na internet, é um país lindo que não se resume à sua capital Praga e sua tradição em cervejas. Vai muito além, com cidades belíssimas e uma herança histórica de cair o queixo. Brno é a segunda maior cidade da República Tcheca, com cerca de 400 mil habitantes, dos quais quase um terço é de estudantes, pois a cidade abriga as maiores e mais importantes universidades do país. Olha que legal: em Brno tem uma universidade que foi recentemente reformada e é o campus universitário mais moderno de toda a Europa, que engloba as faculdades de Medicina, de Ciências e do Desporto. Foi em Brno que Gregor Mendel (o pai da genética) fez todas as suas experiências e morreu, em 1884. A cidade é pequena para os nossos padrões, mas não se engane, tem um aeroporto super moderno de onde saem voos para vários lugares da Europa, como Londres e Moscou, e também um sistema de transporte público que funciona muito bem, que inclui linhas de ônibus, trolleybus e trams, que são como bondes. Existe também linhas de trem que fazem viagens para várias cidades da República Tcheca e também viagem “internacional”, como para Vienna (Brno está cerca de 150 kilômetros de Vienna, na Áustria. Mais perto do que ir à Praga, que está a  mais ou menos 250 km de Brno).

Imagem

Trolleybus

Imagem

aeroporto de Brno, super modernoso!

É uma cidade muito bonita (pelo que vejo pelas fotos do Google) e repleta de igrejas, castelos e lendas… Não vejo a hora de conhecer cada canto de lá! Imagem